Os melhores filmes do Oscar da década

Para aquecer os ânimos e preparar a bagagem para mais uma cerimônia de entrega do Oscar, maior prêmio da indústria cinematográfica americana, o Censura Geek listou e comentou os últimos 10 filmes que subiram no lugar mais alto do estrelato de Hollywood.

2005 – Menina de Ouro (Million Dollar Baby)

menina-de-ouro

Menina de Ouro conta a história de Frankie (Clint Eastwood), que tem dificuldades com relações interpessoais. Tendo um ex-lutador de boxe como único amigo, Scrap, vivido por Morgan Freeman, que também levou Oscar de melhor ator coadjuvante por esse filme, passam a treinar a garota Maggie (Hilary Swank). Com muita determinação, a triste história do longa emociona em diversos momentos e deu prêmios, também, de melhor atriz à protagonista e de melhor direção para Eastwood. Ganhou do favorito O Aviador, de Scorsese e DiCaprio, bem como Em Busca da Terra do Nunca e Ray.

2006 – Crash – No Limite (Crash)

crash-no-limite

Um filme americano e alemão, dirigido por Paul Haggis, que desbancou, entre outros nomes, O Segredo de Brokeback Mountain e Capote, garantiu seu lugar na história por tratar de um assunto recorrente na sociedade americana: o preconceito. Pobres e ricos, muçulmanos, negros, latinos. Todo o tipo de preconceito é tratado no filme de uma forma realista, demonstrando o quão patético chega a ser o retrato da sociedade de um dos países mais desenvolvidos do mundo. Venceu, também, os prêmios de melhor roteiro original e melhor edição, contando com Sandra Bullock, Don Cheadle, Matt Dillon e Chris “Ludacris” Bridges no elenco.

2007 – Os Infiltrados (The Departed)

os-infiltrados

Marcado pelo selo de parceria entre o diretor Martin Scorsese e o ator Leonardo DiCaprio, Os Infiltrados é um suspense policial que mostra um membro da máfia infiltrado na polícia estadual concomitantemente com um policia que se infiltra na mesma máfia em questão. Quando a situação é descoberta, começa a busca por quem são os envolvidos na espionagem mútua. Com ótimas atuações de um elenco renomado, trazendo também Matt Damon, Jack Nicholson, Mark Wahlberg e Martin Sheen, o filme ainda conquistou, além do maior prêmio da noite, outros três. São eles melhor direção, melhor roteiro adaptado e melhor edição. Deixou para traz na disputa filmes como Babel, Cartas de Iwo Jima, Pequena Miss Sunshine e A Rainha.

2008 – Onde os Fracos Não Têm Vez (No Country for Old Men)

onde-os-fracos-nao-tem-vez

Dirigido pelos famosos irmãos Ethan e Joel Coen, o roteiro adaptado, também premiado, de Onde os Fracos Não Têm Vez segue a vida de um xerife aposentado que tenta resolver um assassinato de um traficante quando, ao acaso, um caçador se envolve em uma perseguição pelo dinheiro interceptado na cena do crime que presenciou. Com o estrelado elenco contendo Tommy Lee Jones, Javier Bardem, Josh Brolin e Woody Harrelson, o longa foi aclamado pela crítica, figurou todas as listas de melhores do ano e levou quatro estatuetas do Oscar, incluindo melhor direção e melhor ator coadjuvante para Bardem.

2009 – Quem Quer Ser um Milionário? (Slumdog Millionaire)

quem-quer-ser-um-milionario

Trazendo a versão indiana de um famoso programa de TV americano, Quem Quer Ser um Milionário mostra a emocionante história do menino Jamal (Dev Patel), seu irmão Salim (Madhur Mittal) e sua amada Latika (Freida Pinto), todos indianos, pobres e sofredores. Com a triste realidade de um país que sofre com a superpopulação, a emocionante história de Jamal, sua infância e sua juventude até os 18 anos, quando participa do programa, o filme, dirigido por Danny Boyle, conquistou o público e a crítica, venceu várias categorias do Oscar, deixando pra trás grandes nomes como O Leitor, Frost/Nixon e O Curioso Caso de Benjamin Button.

2010 – Guerra ao Terror (The Hurt Locker)

guerra-ao-terror

Guerra ao Terror já chegou ao Brasil com um nome bem diferente do original, devido à falta de tradução para a expressão americana do título. Mostrando um grupo de soldados estadunidenses em solo Iraquiano, próximos ao esperado dia de voltar para casa, o longa evidencia o quão terríveis são os dias, ainda que poucos, da rotina de atentados e mortes. Além de levar o prêmio de melhor filme, ainda venceu outras cinco categorias da noite, inclusive de direção, para Kathryn Bigelow. Com Jeremy Renner, Guy Pearce, Ralph Fiennes, Evangeline Lilly no elenco, Guerra ao Terror desbancou o pretensioso Avatar, bem como Distrito 9, Bastardos Inglórios e Up – Altas Aventuras.

2011 – O Discurso do Rei (The King’s Speech)

o-discurso-do-rei

Capaz de desbancar grandes favoritos ao prêmio máximo do cinema, como A Origem, O Vencedor, A Rede Social, Cisne Negro, 127 Horas, Toy Story 3 e Bravura Indômita, o filme britânico que conta a história do Rei Jorge VI, pai de Elizabeth II, conseguiu a façanha de emocionar, até mesmo, a própria Rainha. Na película, Jorge VI contrata um fonoaudiólogo para superar um problema que o incomoda: a gagueira. Com a declaração de guerra contra a Alemanha, o Rei precisa, ainda mais, de ajuda com seu discurso para a nação. Contando com Colin Firth, Geoffrey Rush, Helena Bonham Carter e Guy Pearce no elenco, O Discurso do Rei venceu, também, prêmios de direção, roteiro original e melhor ator no Oscar.

2012 – O Artista (The Artist)

o-artista

A maior surpresa do ano em que o mundo devia acabar. Quanto mais o cinema se reinventa, menos imaginamos que um filme nos moldes da década de 1920 poderia roubar os holofotes para si. O Artista, além de ser uma produção francesa, ou seja, não hollywoodiana, é, por incrível que pareça, um filme mudo e em preto e branco. O que mais chamou a atenção, já que não temos falas ou cores, foi a sensibilidade que o diretor Michel Hazanavicius conseguiu expor na história de um ator com a carreira indo de mal a pior e uma atriz em ascensão. O roteiro e as atuações renderam vários prêmios ao filme e ao elenco – Jean Dujardin e Bérénice Bejo, principalmente. No Oscar, enfrentou um ano de estreias nem tão competitivas, levou prêmios de melhor ator, diretor, figurino e trilha sonora, tendo como substanciais concorrentes A Invenção de Hugo Cabret e Cavalo de Guerra (de Steven Spielberg).

2013 – Argo

argo

Em um ano de dificílima disputa entre Django Livre, Os Miseráveis, As Aventuras de Pi, O Lado Bom da Vida e o favorito Lincoln, quem se destacou foi Argo, produzido, dirigido e estrelado por Ben Affleck. O roteiro, adaptado de um livro e também vencedor do Oscar, conta os fatos reais de um resgate a diplomatas americanos no Irã. Aclamado pela crítica, principalmente dos Estados Unidos, Argo enaltece a astúcia dos americanos pelo plano de salvamento dos seus compatriotas e diminui a participação dos vizinhos canadenses. Curiosamente, mesmo tendo ganhado pela categoria de Melhor Filme, Ben Affleck não foi, sequer, indicado para melhor diretor. No elenco também estão Bryan Cranston, John Goodman e Alan Arkin.

2014 – 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)

12-anos-de-escravidao

Contando a história de uma época escravocrata dos Estados Unidos, o filme mostra um negro nascido livre que, ao viajar para a região ainda não abolida do país, é sequestrado e vendido como escravo. Além de ser tão bem recebido por toda a crítica mundial, 12 Anos de Escravidão tem uma importância histórica tão grande que foi adotado como material de estudo em aulas de História das escolas americanas. Conta com elenco de peso, com nomes como Chiwetel Ejiofor, Michael Fassbender, Lupi Nyong’o, Benedict Cumberbatch e Brad Pitt. No Oscar, venceu os ótimos Trapaça, Gravidade, O Lobo de Wall Street, Clube de Compras Dallas, Ela, entre outros.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.