Análise: Mouse Razer DeathAdder Left-Handed Edition

Passar horas do dia usando o computador requer um conforto a mais nos equipamentos. O mouse é um objeto que, apesar de acabar passando despercebido por muitos, é responsável por grande parte do trabalho no dia-a-dia e precisa ser escolhido com carinho.

Além de ter uma mão bem grande que não se adapta à atual tendência de mouse pequeno, ainda tenho outra peculiaridade: sou canhoto. Ao contrário da maioria de canhotos que acaba sucumbindo à exclusão da sociedade majoritariamente destra, não me habituo a usar o mouse com a mão direita. Encontrar um periférico perfeito para mim parecia uma grande aventura sem retorno. Parecia.

Em geral, no mercado são encontrados inúmeros modelos de mouse, inclusive abaixo de 10 reais. A verdade é o motivo e a frequência do uso definem o tipo de equipamento necessário para cada um. Será que vale a pena investir mais dinheiro em algo tão simples?

A Razer é uma marca de equipamentos de computador destinados a usuários mais exigentes, os gamers. Conhecida por seus produtos excelentes, que se tornam sonho de consumo e que são extremamente caros, a empresa tem uma vasta gama de modelos de mouses, teclados, headsets, entre outros. Um desses produtos, porém, me chamou muito a atenção: o Razer DeathAdder Left-Handed Edition, o mouse gamer para canhotos.

Lembrando que o DeathAdder está disponível nas versões destro e canhoto, portanto a análise desse dispositivo atinge todos os públicos.

Justificando o alto preço – cerca de 220 reais – o DeathAdder já impressiona pela caixa. Com abertura frontal, que na edição para canhotos é pelo lado esquerdo, é possível perceber a superioridade em relação aos mais baratos a começar pelo tamanho. O mouse não se limita em ser grande, mas chega a ser enorme para os padrões, causando um extremo conforto em sua pegada, ocupando todo o espaço da mão. Sua superfície emborrachada é pensada na maior aderência, evitando que ele escorregue ou escape da mão. Além disso, seus botões são igualmente grandes, acionados por uma pequena pressão dos dedos, sem exigir muita força. Junto da embalagem é encontrado um guia de usuário, um catálogo de produtos da marca, certificado de autenticidade e dois adesivos com o logo da Razer.

Na parte inferior, outro grande trunfo da Razer. Os “pezinhos” do periférico são de um material diferenciado. Pode parecer apenas mais uma frescura, porém o deslize pela superfície da mesa ou mousepad tem uma incrível melhora em relação aos modelos comuns. O DeathAdder parece voar, não criando atrito com a superfície, diminuindo, consequentemente, a força empregada no manuseio.

Por dentro, o incrível sensor infravermelho de 3500dpi deixa todos os movimentos mais precisos. Diga adeus àquela luz vermelha, pois o infravermelho é imperceptível. O software da Razer permite que controlemos, e mudemos a vontade, quantos dpi queremos trabalhar, ideal para jogos e tarefas que exigem movimentos super-precisos. Sem contar que ainda temos dois botões adicionais, na lateral, facilmente acessados pelo dedão, que podem ser configurados da forma que o usuário achar melhor, criando atalhos para funções das mais simples às mais complexas, como trocar o nível de dpi do sensor e, também, teclas macros para jogos.

Mesmo com tantas características técnicas, o design não foi esquecido. O DeathAdder impressiona pela beleza. Seu scroll é iluminado por uma luz azul que fica sempre acesa, enquanto o logo da Razer pulsa, intermitentemente, também em azul (ambas podendo ser desligadas pelo software de controle, caso seja a vontade do usuário). O cabo do mouse é revestido por fios entrelaçados, dando maior resistência e evitando o emaranhamento. O conector USB é banhado a ouro, garantindo maior velocidade na transferência de dados e contribuindo para o tempo de resposta de 1ms, além do belo visual dourado. Tudo isso no formato ergonômico, ajustando-se a mão direita ou esquerda, dependendo da versão.

Depois de tanta vantagem, o preço salgado fica facilmente compreensível, justificando o investimento. O mouse Razer DeathAdder é, sem dúvidas, um dos melhores dispositivos de sua categoria presentes no mercado, sendo um dos únicos – se não o único – com versão Left-hand. Cada centavo vale realmente a pena dando ao usuário uma experiência bem distante da usual, encontradas em mouses menos específicos. O ganho de desempenho é enorme. Uso e recomendo.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.