A Última Ressaca do Ano

A Última Ressaca do Ano

E foi dada a largada para as histórias natalinas no cinema. Embora não seja mais daqueles filmes familiares que as crianças adoram, A Última Ressaca do Ano se aproveita do tema para entregar uma comédia mais adulta e descomprometida.

Mesclando fatores já consagrados por outras comédias, o longa apresenta o escritório, cenário responsável pela maior parte do desenrolar da trama, a festa exagerada, os personagens diversificados e estereotipados e as loucas consequências dessa mistura. Não só aparenta ser pouco inovador como realmente não traz nada além do esperado. Até mesmo as atuações de Jason Bateman e Jennifer Aniston, embora satisfatórias dentro da proposta, parecem ser reaproveitadas diretamente de trabalhos anteriores, meio automatizadas.

office-christmas-party-3

Com um roteiro extremamente simples, sem reviravoltas ou surpresas, o filme consegue surpreender pela quantidade de subtramas que adicionam certa profundidade no enredo, encorpando a premissa e dando utilidade aos personagens, o que não é sempre visto nesse tipo de comédia. O desenvolvimento da trama é o ponto forte, já que fornece um plano de fundo sólido e desempenha papel fundamental de recolocar o público nos trilhos da história, impedindo uma aproximação com aquelas justificativas rasas da zoeira apenas pela zoeira. Em contraponto, a fraqueza do filme se encontra justamente no que deveria ser o maior trunfo: a comédia propriamente dita. Ao fim de algumas cenas, resta ao espectador a sensação de que deveria estar rindo, mas isso não acontece. Os melhores momentos talvez sejam os naturalmente engraçados, de piadas menos elaboradas, sem forçar a barra. Vale ressaltar as inúmeras referências, de filmes até séries da cultura popular, que se encaixam muito bem quando utilizados, mas não deixam de ser uma forma descarada de tentar criar relação pessoal com o público.

Os diretores Josh Gordon e Will Speck abusam da tentativa de criar momentos épicos no caos da festa que move o título e, ainda que construam várias cenas risíveis e exageradas, falham em estabelecer alguma cena digna de se tornar memorável.

Seguindo na contramão dos filmes de Natal que normalmente trazem uma bela lição, o filme, que tem como título original Office Christmas Party, é uma boa alternativa para reunir os amigos no fim de ano, desde que a pretensão seja uma diversão descompromissada.

2

Giuseppe Turchetti

Formado em Ciência da Computação, técnico em Informática, analista de suporte, colunista de cinema no jornal Diário de Taubaté e administrador do Censura Geek. Respiro o universo Geek todo o tempo. E ainda não conheço um fã de Batman maior que eu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *