Velozes & Furiosos 6

A franquia de carrões do cinema chega ao sexto filme deixando claro que, mais que uma sequência de longas, já se tornou uma série, digna de uma abertura com música e recheada de cenas dos filmes anteriores. Este formato faz jus ao título que evolui a cada estreia, tornando o conhecimento completo da história obrigatório para entendimento da nova aventura.poster

É nitidamente perceptível que os carros, o tunning e as mulheres foram foco apenas dos três primeiros filmes, dando lugar posteriormente para tramas mais sólidas, partindo ao mundo do crime, deixando tudo mais sério e concentrando na ação como um todo, não apenas sobre quatro rodas. Velozes e Furiosos foi se transformando em velozes e perigosos.

Desta vez, a trama tem início mostrando a vida de luxo dos personagens, que roubaram 100 milhões no Rio de Janeiro no filme anterior. Embora a promessa de deixarem a velocidade para trás, Dominic Toretto (Vin Diesel) é procurado, em sua nova vida pacata, pelo policial Luke Hobbs (Dwayne “The Rock” Johnson) para voltar à ativa, desta vez para ajudá-lo na busca por outro criminoso perigoso que tem praticado assaltos a itens militares. Em troca, Hobbs oferece o perdão governamental à família Toretto. Mais que isso, mostra fotos de Letty (Michele Rodriguez), que todos pensavam ter morrido nos acontecimentos mostrados no quarto título, afirmando que ela trabalha para tal vilão, Shaw (Luke Evans).

Michele Rodriguez

Embora filmes de ação, normalmente, não têm tanta preocupação com pontas soltas de enredo, Velozes & Furiosos 6 vai pelo caminho inverso, mostra uma história concisa e, para acabar com a confusão cronológica gerada pelo terceiro título, amarra toda a narração de forma primorosa, para deleite dos fãs. Isso não transforma a sequência em obra prima cinematográfica, mas dá força a série, tornando a evolução agradável àqueles que a enxergam apenas como entretenimento.

Os exageros ainda marcam presença e extrapolam o aceitável, às vezes. As cenas de perseguição exemplificam bem, com saltos entre carros – e até avião – que tiram gargalhadas do público devido à tamanha impossibilidade dos fatos. Em determinada cena, Diesel praticamente voa para salvar Letty. Em contrapartida, a maior parte das sequências de ação é bem elaborada e a velocidade nas pistas ainda é fundamental para o curso da história.

Outro ponto sempre presente e relevante é a trilha sonora, que não decepciona a franquia. O hip-hop embala vários momentos fundamentais no desenrolar da narração.

Em relação ao elenco, Vin Diesel soa mais canastrão a cada episódio da série, enquanto Paul Walker vem perdendo espaço. A inclusão de The Rook caiu muito bem; seu carisma contribui para afeição do público e gera algumas piadinhas, pelo decorrer do filme, por conta de seu tamanho. Destaque também para as cenas de luta empolgantes entre Gina Carano e Michelle Rodriguez.

Com maior ênfase na família, Velozes & Furiosos 6 mostra muito bem o desenvolvimento dos Toretto, atinge um patamar mais elevado em comparação aos primeiros filmes e cumpre bem a proposta de prender a atenção dos que procuram pela diversão no cinema e dos que entendem a mitologia da série. Não chega a ser um filme sério, mas tem bons elementos para mesclar a seriedade com o improvável que tornam esta série um sucesso. E como já foi deixado claro nesta experiência, que venha o sétimo episódio.

Giuseppe Turchetti

Formado em Ciência da Computação, técnico em Informática, analista de suporte, colunista de cinema no jornal Diário de Taubaté e administrador do Censura Geek. Respiro o universo Geek todo o tempo. E ainda não conheço um fã de Batman maior que eu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *