American psycho II: um desastre!

American psycho II: um desastre!

Bem diferente do filme que o precede, “American psycho II: all american girl” não tem nada de impressionante.

key_art_american_psycho_2

O longa foi lançado em 2002 e tentou pegar carona na polêmica gerada por “American psycho” e já no trailer fica visível essa tentativa.

Porém, tanto para os fã ou não fãs de Patrick Bateman, é notável que a continuação não consegue nem metade da “magia” do primeiro filme, a começar pela cena de abertura: Bateman morrendo de um jeito tão estúpido, pelas mãozinhas de uma criança.

Não se pode deixar de observar que é uma criança bem estranha, já que, além de matar Bateman com tranquilidade, a menina sai logo do apartamento, pois não quer ter que falar com os policiais e, praticamente, desde aquele momento, já descobre o que “quer ser quando crescer”, quer caçar os serial killers, para tornar o mundo melhor.

American_Psycho_2_40740_Medium
Rachel em sua fase “psycho mirim”

Lembra certo personagem famoso? Durante o filme vemos que não, de Dexter, a serial killer, Rachel Newman não tem nada. A verdade é que o longa parece um besteirol adolescente em que a personagem principal mata pessoas para atingir seu objetivo, ao invés de praticar bullying contra os coleguinhas.

Parando um pouco com as críticas e falando do filme em si, temos Mila Kunis vivendo a pele da sucessora de Patrick, a estudante Rachel Newman. Rachel sonha trabalhar para o FBI, em Quantico (fãs de Criminal Minds saberão bem) e o caminho mais fácil para se conseguir isso é sendo assistente do professor e ex-agente do FBI, Daniel Starkman.

Entretanto, Rachel encontra alguns obstáculos ao longo desse caminho, os quais a personagem vai eliminando, de forma fria e bem sem graça, durante o filme.

Em uma de suas declarações Morgan J. Freeman, o diretor do filme, alega que tentou dar um ar mais “calculista” a Rachel, o que explicaria as mortes fáceis e chatas realizadas pela personagem. Independente das intenções do diretor a verdade é que o filme parece muitas vezes se esquecer que o foco deveria ser a psicopatia e não o objetivo de vida da moça.

Para finalizar, vale a pena dizer que a trilha sonora  acompanha a má qualidade do filme.

 002APT_Mila_Kunis_019

Larissa Lotufo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *