Arrow – As aventuras do Arqueiro Verde. Não, espera…

Arrow – As aventuras do Arqueiro Verde. Não, espera…

A rede de TV americana voltada ao público adolescente, The CW, desde maio de 2011, deixou muitos expectadores “órfãos” com o final de Smallville, que acompanhavam o seriado já há 10 anos no canal. E exatamente para suprir essa lacuna, Arrow chega às telas trazendo ao grande público a história de mais um velho conhecido dos fãs de quadrinhos da DC Comics, o mestre das flechas vestido em seu capuz verde.

Series poster
Series Poster

É isso mesmo. Pelo menos até agora, em 10 episódios da série, apenas uma vez o nome Arqueiro Verde foi sugerido (e considerado um nome fraco pelo próprio protagonista) ao Vigilante que protege Starling City. Talvez por uma estratégia de melhor funcionamento e adaptação do personagem na TV, o alter ego de Oliver Queen (Stephen Amell) tem sido nomeado de Capuz (The Hood), arqueiro misterioso, entre outros, visando, creio eu, a estabilizar futuramente como apenas Arqueiro (Arrow).

A série segue os moldes já predeterminados pela CW, com dramas familiares, triângulos amorosos e história que se revela aos poucos, ao longo da temporada, causando certo suspense e curiosidade. Além disso, Smallville deixou um legado a ser seguido, embora as aventuras do Superboy tenham, em vários momentos, se tornado um tanto enfadonhas, refletindo sutilmente na produção de Arrow. Outra curiosidade: é fácil perceber que a mansão da família Queen é a mesma usada nas filmagens de Smallville, quando pertencia à família Luthor. Mais uma semelhança é que, apesar de não ter superpoderes, Oliver Queen é muito superior nas lutas, perseguições e investigações, causando algum desconforto nos mais exigentes (como eu, que sou chato :p). A omissão de cenas que mostrem todas as etapas de investigação e locomoção do herói torna possível um maior volume de acontecimentos, perdendo um pouco, porém, em realismo e detalhes. Felizmente as semelhanças terminam aqui. Arrow tem uma atmosfera mais pesada, uma cidade cheia de criminosos perigosos, milionários corruptos e um herói rico com um arsenal bacana (Batman feelings). Sem poderes especiais, Oliver mostra o físico muito bem preparado em seus treinamentos e aparições como Arqueiro, muitos movimentos de Parkour e incrível habilidade com o arco.

Green Arrow dos quadrinhos, por Giuseppe Turchetti
Green Arrow dos quadrinhos, por Giuseppe Turchetti

Na trama, o playboy e imaturo de 23 anos, Oliver Queen, é vítima de um naufrágio e se torna o único sobrevivente. Após passar 5 anos em uma ilha próxima da China, é resgatado por pescadores e volta à Starling City com a missão de acabar com aqueles que, junto de seu próprio pai, tornaram a cidade um caos. Com o passar dos episódios, flashbacks dos acontecimentos na ilha vão explicando como Oliver se tornou maduro, frio, habilidoso e letal. Aqui entra o tom de seriedade da série, pois bandidos realmente morrem com flechas no peito, sem piedade.

Para agradar o público alvo da série, fundamentalmente amantes de quadrinhos, os produtores já prometeram outros personagens da DC que farão participações em Arrow. No atual momento, com 10 episódios, já tivemos Deathstroke, Deadshot, Huntress, Firefly e Dark Archer. Outras presenças já foram confirmadas, como o caso de Roy Harper, o Speedy. Expectativas giram em torno, também, de Dinah Laurel Lance (Katie Cassidy), ex-namorada de Oliver que, nos quadrinhos, se torna a Black Canary. Os mais entusiastas esperam aparições mais famosas. Até Bruce Wayne é aguardado, porém nada sobre isso foi comentado.

arrow team

Com novos episódios todas as noites de quartas-feiras na CW, vamos chegando ao meio da primeira temporada. Com boa audiência, um seriado não tinha uma estréia tão assistida no canal desde 2009. Várias pontas soltas, assuntos mal resolvidos, personagens em ascendência e flechas voando. Tudo isso dá à Arrow os ingredientes que uma série sobre quadrinhos precisa ter para dar certo.

Giuseppe Turchetti

Formado em Ciência da Computação, técnico em Informática, analista de suporte, colunista de cinema no jornal Diário de Taubaté e administrador do Censura Geek. Respiro o universo Geek todo o tempo. E ainda não conheço um fã de Batman maior que eu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *