Orcs Must Die! Partidas rápidas para proteger a humanidade.

Orcs Must Die! Partidas rápidas para proteger a humanidade.

Imagine se a magia fosse parte integrante da sociedade e que essa energia mágica viesse de fissuras no espaço, glóbulos luminosos de mistério que escondem através de si outra dimensão, um mundo devastado repleto de criaturas estúpidas e sedentas por sangue e carne macia de humanos, os então nomeados Orc.

Nós humanos certamente arrumaríamos as mais diversas maneiras de deter essas criaturas de entrarem em nosso mundo, criaríamos fortalezas ao redor de tais passagens, as cercaríamos de armadilhas que despedaçariam e aniquilariam nossos inimigos, protegeríamos esses locais com o auxílio de magos e Guerreiros, não permitindo que nenhum Orc invada!
E assim fizemos em Orcs Must Die!, um jogo da Robot Entertainment, lançando no Final de 2011 para PC e Xbox, onde o jogador tem que, munido de uma coletânea de Armadilhas, artefatos mágicos e armas, deter as hordas de Orcs que irrompem pelas gigantescas portas das fortalezas que guardam as Fissuras, o portal que une essas diferentes realidades!

O jogo se inspira no sistema de Tower Defense (defesa da Torre), onde se protege uma torre de ataques inimigos, normalmente sob uma visão aérea, distante, onde se controla personagens minúsculos para manter a integridade do Reino, ótimo exemplo em Flash é o jogo Kingdom Rush, que além de extremamente viciante também possui Orcs e Goblins em sua lista de oponentes!
Orcs Must Die! une a isso a visão em Terceira pessoa de um jogo de ação, criando um ambiente super interativo de RST ( Real time Strategy, Estratégia em tempo Real), onde combos, Kill-streaks e Headshots ajudam acumular pontos para comprar mais e mais armadilhas.
O game é dividido em fases, cada uma representando uma fortaleza diferente, que ficam cada vez mais difíceis, aumenta-se o número de “ondas” de ataques de Orcs, inimigos mais fortes ou mais rápidos surgem como os Gigantescos Ogros e os minúsculos e ágeis Kobolds, há também oponentes que voam e que atiram flechas, entre outros tipos de criaturas malignas.

A cada fase é destravada uma nova armadilha, que são para mim  o maior atrativo do jogo, além de funcionarem de modo diferente são graficamente impressionantes, espinhos, lâminas giratórias, chamas, lanças que atravessam distâncias e rolos compressores contribuem para acender no jogador a curiosidade de completar a próxima fase para destravar as novas armadilhas.

Cada fortaleza também tem suas particularidades, poços de ácido ou lava, arqueiros pré posicionados para auxiliar o jogador,  duas ou mais portas de entradas de Orcs (imagine deter ondas simultâneas de Orcs vindo de locais opostos!), micro-portais que movimentam o jogador de um ponto ao outro dentro da fortaleza (passe mais de 20 vezes em uma única rodada e ganhe um Badge, chamado SGI, referência a série de TV americana Stargate).
Vale avisar, se 20 Orcs passarem por sua defesa e entrarem na Fissura, você perde a rodada, Ogros valem por 5 pontos! O jogo pode realmente ficar bem complicado, e é o desafio um dos grandes incentivos para iniciar a jogatina e também o maior incentivo para deixar o teclado de lado após algumas fases! Fora isso ainda existe um modo Nightmare, que conta com Orcs muito mais fortes e resistentes, e outros dificultantes para o jogador.

E é aí que podemos mencionar a única coisa sobre o jogo que me desagrada, ele pode se tornar extremamente difícil, e o desafio parece estar acima do gamer comum. As estatísticas dos Badges da Steam ajudam  muito a visualizar essa situação, somente o 56% dos jogadores de todo o mundo possuem o Badge Defender, que pode ser conseguido ao completar o primeiro Ato do jogo, as primeiras 10 fases .  Outra grande revelação é sobre um de nossos redatores, Adan, que conseguiu o Badge Skin of your Teeth, se não me engano, em sua primeira rodada! Somente 12% dos jogadores ficaram por um triz, e tinham somente um Orc restando para perder a partida.

Apesar de toda essa tensão, o jogo tem um tom descontraído e muito bem humorado, ambos personagens, o controlado pelo jogador e os Orcs soltam frases hilariantes durante as batalhas nas linhas de :

Orc:
“AAí, você pisou no meu pé!”
“O último que chegar é humano!”
“Pra onde estamos indo mesmo?”

Player:
“ Isso vai doer mais em mim do que em vocês … Não espera, é o contrário!”;
“Essa deve ter doído!”;
“Eles vão adorar essa armadilha aqui!”

Outro aspecto marcante são os cenários e ambientes muito bem desenvolvidos, não somente em sua dinamicidade, mas também na qualidade visual, todo detalhe é interessante, nada foi deixado crú ou sem atrativos, incluindo rodapés, espinhos, bandeiras, padrões  de sulcos e marcas diferenciadas no chão, elevações no relevo e iluminação adequada. Apesar do tema se manter o mesmo cada estrutura se mostra muito única.

Junte toda essa jogabilidade à uma arte gráfica mais do que bem elaborada, adicione uma trilha sonora eletrizante,  e Muitos Orcs e Vilões Sanguinários! Está pronta a fórmula para um jogo envolvente, divertidíssimo e desafiador. Ou como nosso protagonista diria: “Just add Orcs and Blend!”- “É só colocar Orcs e bater no liquidificador!” parodiando receitas de Bolo.

Certamente é uma das produções recentes que mais me agrada, recomendo para todos aqueles que buscam um bom desafio. O jogo pode ser adquirido pela Steam por Boleto Bancário por menos de 20 reais.

 

Guilherme

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *